Últimos Posts

  • Essencias Sys concentradas: a chave para aproveitar os...

    Com uma variedade de fragrâncias disponíveis, as essências Sys são produtos naturais que servem para refrescar o lar,    também usadas para...
  • Benefícios da Curcuma

    A cúrcuma, também conhecida como açafrão-da-terra, é uma especiaria popular amplamente utilizada na culinária e na medicina tradicional há milhares...
  • Sete benefícios da maçã para a saúde

    A maçã  é rica em água (cerca de 80%), tem poucas calorias e vários nutrientes. Este valor nutricional torna a maçã uma fruta que ajuda a prevenir...
  • Alzheimer: os benefícios da acupunctura com cristais PAD

    A Acupuntura com cristais PAD com o Dr. Antonio Dinis tem sido a terapia complementar de referência no Dayspa Edite para ajudar no tratamento do...
  • Alzheimer: Cuidar de quem cuida é fundamental!

    Mesmo não sendo um dia especial, hoje fazemos uma reflexão de destaque sobre o papel dos cuidadores de doentes com Alzheimer, que são, muitas...

comentarios recentes

Não existem comentários

Personificar sem medicar

Personificar sem medicar

Novas doenças mentais que tem relação direta com o consumo de medicamentos. Os medicamentos são necessários nos transtornos mentais graves, mas não ajudam nos problemas cotidianos, e sim o contrário: o excesso de medicação causa mais danos que benefícios. Não existe um tratamento mágico para quem se sente mal consigo mesmo.

O mundo não soube deter o impulso agressivo das empresas farmacêuticas para introduzir novas doenças mentais e assim vender mais remédios. O resultado foi uma explosão diagnóstica que provoca muitos danos, especialmente na psiquiatria infantil.

Outra ininformação que nos surpreende é que, entre as crianças em tratamento, há mais de 10 mil com menos de três anos de idade! Com respeito à medicação dada às crianças em idade escolar, não existem evidências a longo prazo que os remédios contribuam na melhora dos resultados escolares. Por outro lado, é de considerar que as crianças estão a ser cobaias de uma experiência, pois ainda não se conhecem os efeitos colaterais que podem vir com o passar do tempo.

“Precisamos aceitar que as crianças são diferentes entre si, e que nem todas cabem numa forma de normalidade que tornamos cada vez mais restrita. É muito importante que os pais protejam os filhos, mas do excesso de medicação”.

O ser humano sobreviveu milhões de anos graças à capacidade de enfrentar as dificuldades e superá-las. Lançar medicação diante de qualquer problema reduz a capacidade de encarar o "stress", gerando uma sociedade fraca diante de qualquer adversidade.
Além disso, quando tratamos qualquer processo banal como se fosse uma doença, diminuímos a dignidade daqueles que realmente sofrem com graves enfermidades.

Para concluir, é necessário trabalhar para conseguir mudar a atitude das pessoas. Que, em vez de ir a um médico em busca de um remédio para um inofensivo mal-estar, tenham uma atitude mais cuidadosa: que questionem seus médicos sobre os remédios prescritos, seus benefícios e efeitos colaterais, e perguntem sobre outras alternativas.

Alerta: “E é preciso mudar os hábitos de sono! A sociedade sofre de um grave problema de insonia, e isso provoca ansiedade e irritabilidade. O cérebro elimina toxinas durante o sono. As pessoas que dormem pouco têm problemas, tanto físicos quanto psíquicos”.
TEXTO ORIGINAL DE INCRÍVEL.CLUB

0 Comentário